Novidades do WordPress 3.5

Reblogando artigo da escolaWP de Portugal

Foi lançado no dia 5 de Dezembro. São várias as alterações realizadas pela comunidade e pela equipa do core. Todos os anos assistimos ao lançamento de pelo menos duas novas versões do WordPress. Esta versão está cheia de novidades e melhoramentos à muito pedidos pelos usuários do WordPress.

Algumas novas funcionalidades incluem várias mudanças a nível de código. Decidi neste artigo separar em duas partes, sendo a primeira apenas uma visão geral do que foi melhorado ou incluído e a segunda um apanhado do que foi modificado em termos programáticos.

NOVO SISTEMA DE UPLOAD DE FICHEIROS

O sistema de upload de ficheiros nativo do WordPress raramente sofreu alterações desde que foi implementado na grande versão 3.0. Um dos graves problemas era a impossibilidade de gerir galerias diferentes para vários posts sem que se tivesse que carregar todas as imagens para cada um dos posts. Como seria de esperar de já à alguns anos, o sistema de gestão de ficheiros e imagens do WordPress foi completamente reescrito nesta versão incluindo, além dessa, muitas outras melhorias.

Interface renovada, mais rápida e intuitiva

O botão de carregamento da interface de upload e gestão de imagens e ficheiros foi melhorado. No lugar do texto “Adicionar/Carregar” seguido do ícone, agora encontramos um botão semelhante aos botões usados nativamente em toda a administração. O texto desse botão também mudou para “Adicionar media”. Isto quer dizer que developers de plugins que adicionem botões nesse sitio deverão também adaptar-se progressivamente à nova interface.

Por outro lado, o usuário já não necessita de esperar para que o Thickbox (o script que lidava com o carregamento da iframe do sistema de upload de media) para carregar todo o conteúdo. O conteúdo já se encontra activo assim que o usuário aceder a uma página que tenha um botão “Adicionar Media”, porém esse overlay encontra-se escondido e aparece assim que chamado pelo usuário.

A nova interface muda radicalmente o conceito de gestão de ficheiros e imagens. O carregamento de imagens é feito de uma forma mais parecida com a do Google+, com sistema de drag-and-drop. Do lado esquerdo encontramos uma barra lateral com os links para inserir imagem por upload ou URL, criar uma galeria ou escolher apenas algumas imagens da biblioteca. Criar galerias tornou-se bastante mais simples visto que basta seleccionar da biblioteca as imagens que pretendemos inserir como galeria a determinado post.

Mudanças na core ao nível da gestão de upload

Para que essa mudança da biblioteca acontecesse foi necessário modificar vários ficheiros da core incluir mais funções e modificar um pouco a forma como a gestão de upload é feita. Uma das grandes alterações é a detecção imediata das extensões de imagem do PHP e da existência do Image Magick, uma colecção de ferramentas para manipulação de imagens através da linha de comandos, disponível para Linux. Muitos programas como o famoso GIMP usam esta biblioteca como backend, porque não o WordPress também? Isto torna (no futuro) a conversão de imagens e ficheiros como PDF muito mais eficaz e abrangente podendo, por exemplo converter imagens para outros formatos e PDF e vice-versa dentro da própria biblioteca.

Biblioteca de imagens e ficheiros

As mudanças não se ficam apenas pelo sistema de upload, também a biblioteca de ficheiros vai mudar na próxima versão. Agora todos os anexos (imagens ou ficheiros) são mostrados através do post.php, assim torna-se mais fácil aos developers modificarem ou acrescentarem novas metaboxes. Falando em metaboxes, existem uma nova caixa chamada “Attachment Page Content”, com um pequeno editor de quicktags onde é possível adicionar um texto que aparece na página de anexos no front-end. Esta mudança finalmente torna a página de anexos em algo de útil, por exemplo, um fotógrafo poderá incluir informação e detalhes acerca da imagem em anexo.

Opção de mudança do directório de upload – esta opção anterirmente encontrada sobre a página de opções de media foi removida. A partir de agora, para modificar o local de upload é necessário incluir através de uma constante o local diretamente no ficheiro wp-config.php

GESTOR DE LINKS

Este caminho também foi anteriormente previsto pela comunidade. É raro alguém usar o gestor de links do WordPress, certo? Foi removido nesta versão! Eu pessoalmente concordei com esta decisão desde o início, uma vez que o caminho do WordPress é inquestionavelmente o de um CMS, a inclusão de um sistema de gestão de links por defeito seria um absurdo. Na verdade apenas o acesso na interface foi removido, será necessário ainda tornar todo o módulo dos links deprecado e assim removido totalmente numa próxima versão. O bom disto é que você não terá mais que ver o link ali preso ao menu!

Esta decisão também dá espaço para que outros desenvolvedores de plugins criem versões melhoradas deste gestor que possa incluir um cusotm post type. Isto torna o WordPress cada vez mais fiável e rico.

Caso você ainda uso este sistema não precisa de entrar em pânico, ele ainda estará disponível se você pretender. Apenas terá que instalar este plugin e o gestor de links voltará a aparecer como era dantes com todos os seus links incluidos. Não deve estranhar esta decisão, uma vez que este módulo não era modificado desde a versão 3.0 (dois anos atrás).

GESTOR DE PLUGINS MELHORADO

Houve alguns melhoramentos a nível da interface na gestão de plugins, incluindo algumas tags que possivelmente poderão ser usadas no futuro. Fala-se de futuramente existirem níveis de plugins e dependências entre plugins, algo já usado nas distribuições Linux como os programas APT-GET e YUM. Possivelmente serão incluídos no diretório alguns plugins oficiais com classes e bibliotecas para ligação a outros sites e redes sociais aos quais desenvolvedores de outros plugins poderiam usar sem terem que reinventar a roda. Por exemplo, um plugin que acede ao Facebook poderá usar e depender do plugin oficial escito pelo Facebook. Dessa maneira quando um usuário instalasse esse plugin ele iria automaticamente buscar as dependências necessárias sem que o usuário sequer notasse.

Foi incluido também um link para os plugins favoritos no diretório de plugins. Isto torna-se mais fácil para que desenvolvedores e bloggers instalarem novos WordPress e incuirem os plugins que mais usam sem ter que perder muito tempo à procura.

PUBLICAÇÃO REMOTA E XML-RPC E OEMBEDS

O XML-RPC é o protocolo usado pelo WordPress para publicação de conteúdo remotamente. Anteriormente seria necessário activar essa opção na administração do WordPress para que pudéssemos usá-la. Hoje em dia o XML-RPC já não é mais um risco de segurança no WordPress e vem activo por defeito nas novas instalações. A classe começou a ser reescrita na versão 3.4 e foi concluída na totalidade nesta versão. Actualmente é possível fazer quase tudo através da API.

Seguindo os mesmos passos que a classe XML-RPC o sistema OEmbeds também foi tornado activo por defeito e a opção de desactivar eliminada. Novos OEmbeds foram acrescentados porém ainda não existe uma lista oficial de todos os provedores que já foram incluídos.

A página de privacidade do menu de opções também foi removida e a sua única opção (controlar a visibilidade dos motores de busca) transitada para a página de opções de leitura.

TWENTY TWELVE

Com a mudança de versão do WordPress também muda o seu tema por defeito. O Twenty Twelve é um tema inspirado na simplicidade e que explora todas as novas funcionalidades do WordPress. Embora a maior parte não use o tema por defeito, este é óptimo para quem deseja aprender sobre WordPress, apresentando uma interface limpa e minimalista com apenas uma Sidebar e uma posição de Menu, tornando a aprendizagem mais agradável.

Além disso, algo que tem sido incluído apenas em temas premium. Este tema vem com dois sidebars extra para colocar widgets na frontpage do seu website.

Para saber mais detalhes para desenvolvimento de temas, veja o artigo completo aqui.

Post oficial de lançamento do WordPress 3.5 (em inglês) | Documentação oficial da Versão (em inglês)versão

As principais novidades do WordPress 3.0

Orignalmente blogado em: meiobit.com

O WordPress é, se não o maior, um dos maiores sistemas de blogs/CMS do mundo. A perfeita combinação entre ótimo sistema e comunidade ativa deu certo, e o que o WP não entrega por padrão, alguém cria um plugin ou hack para suprir. A cada grande lançamento, a Automattic acrescenta mais recursos ao sistema, e nessa constante evolução originada de várias frentes, quem ganha são os usuários.

Já em Beta 2, o WordPress 3.0, próxima versão do sistema, deve sair logo. Este será um dos maiores lançamentos da sua história, pois trará algumas mudanças significativas no projeto como um todo. Vamos ver algumas delas?

Novo tema: Twenty Ten

Twenty Ten em ação.Twenty Ten em ação.

Após cinco anos com o bom e velho Kubrick, o tema padrão do WordPress mudará. Desenvolvido pela Automattic com o intuito de tirar proveito de todos os recursos que o WP tem a oferecer, além de respeitar padrões Web e ter sido feito em cima de boas práticas, o Twenty Ten promete. Ele trará, ainda, algumas inovações internas do WordPress, como suporte a estilos na tela de edição de posts.

Tipos de posts

Inspiração no Tumblr? Provavelmente. Na nova versão, o WordPress permitirá a criação de “tipos de posts” variados. Até a atual (2.9), o sistema oferece duas possibilidades: posts regulares e páginas (posts fora da cronologia). Já na versão 3.0, o desenvolvedor poderá criar tantos templates quanto lhe sejam necessários, a fim de variar a cara das publicações, mais ou menos como o Tumblr trabalha por padrão. (Mais informações, em inglês).

Custom post types.Custom post types.

Gerenciamento de menus

Mais uma facilidade aos que têm aversão a linhas de código. O menu principal ganhou uma nova chamada, de modo a permitir que seja configurado através da área administrativa, visualmente, via arrastar-e-soltar, mais ou menos como funciona hoje os widgets.

Gerenciador de menus.Gerenciador de menus.

Taxonomias personalizáveis

Recurso específico para desenvolvedores, e talvez difícil de entender para os que não são. Resumindo (e corrijam-me se eu estiver errado; não sou desenvolvedor :-P ), taxonomias são meta dados que ajudam na organização de posts. Até hoje, tínhamos apenas os pré-definidos pelo WordPress, como categorias e tags; agora, será possível criar novas, o que permitirá a criação de filtros e uso geral de informações de maneira mais abrangente e eficiente.

Pegando carona num exemplo do Mashable (fonte inspiradora deste post, aliás), imagine, num blog sobre cinema, a criação da taxonomia “Classificação etária”, onde os autores definiram-na em cada post/filme: Livre, 10 anos, 12 anos, 16 anos, 18 anos… Essa é apenas uma das quase infinitas possibilidades que essa novidade permitirá.

Múltiplos blogs

Uma das mudanças mais drásticas, o WordPress 3.0 substitui não apenas a versão 2.9, mas também o WordPress MU. Isso significa que, a partir de uma instalação, com poucas configurações, será possível rodar dois ou mais (muito mais!) blogs a partir de uma mesma instalação. É como se cada blog rodando WordPress ganhasse, da noite para o dia, a capacidade de virar um “WordPress.com”.

Segundo o site oficial, o WordPress 3.0 sai em maio. Como sempre acontece, após a atualização alguns plugins terão problemas, mas apenas até que seus desenvolvedores os atualizem. Antes de fazer a atualização, lembre-se do backup. E caso já queira testar as novidades, o Beta 2 está disponível publicamente.

Para acompanhar os Downloads do WordPress 3.0 em tempo real acesse:

http://wordpress.org/download/counter/

Como adicionar uma Google Map no maracatu.org.br

Dentro do portal instalamos o seguinte plugin para incluir mapas do Google em qualquer página ou post de seu site.

Google Maps – Version: 1.7.1
http://wordpress.org/extend/plugins/google-maps/

Para incluir um mapa é necessário criá-lo antes no Google Maps. Para isso você deve ter uma conta Google. Criar um mapa é bem fácil, veja no vídeo abaixo:

Imagem de Amostra do You Tube

Depois pegue o link permanente que o Google Maps gera e coloque no código abaixo dentro de um post ou página:

[ googlemaps aqui_entra_o_link_enorme_do_google ]

Você vai substitutir o trecho do código em vermelho para colocar o link de seu mapa. O link que o google gera é enorme, mas não se assuste. Veja como ficou a visualização de meu teste no post:

Abx!

Até a próxima

Criando um Link no WordPress

Bom pessoal encontrei um mini Tutorial no reinehr.org que estou dando uma ampliada e colocando aqui pra vocês.

Como poderão ver, é muito simples, mas pode ser complicado quando não se está acostumado com os símbolos de edição em webdesign.

A figura abaixo ilustra bem a questão:

Criar link WordPress

Quando estiver escrevendo um texto e quiser criar um link sobre ele, basta:

1. Selecionar o texto, segurando o mouse e arrastando sobre ele até o ponto em que quer que seja um link;

2. Clicar no símbolo em forma de “Corrente” apontado pela seta vermelha (ainda existe o atalho: apertar Alt + Shift + A);

3. Quando a caixa “Inserir/editar link” abrir, preencha o espaço “URL do Link” com o link propriamente dito que você quer somar, começando com http:// (ex.: http://maracatu.org.br);

4. No espaço “Destino”, defina se quer que o link seja aberto em uma nova janela do navegador do visitante ou na mesma;

link_01

5. Preencha o “Título” do link com o título da página que está linkando ou com o título do site onde está a página;

6. O campo “Classe” será motivo de um outro tutorial, mas por enquanto saibam que ele não é util para links em palavras, mas sim para links em imagens. Mantenha como “– Não definido –“;

7. Clique em “Inserir” e está lá seu link!

2ª Oficina com o Bloco de Pedra no lab do Alves Cruz!

Começamos a por a mão na massa com a equipe que trabalhará na página do Bloco de Pedra, que pela primeira vez se reuniu no telecentro do Colégio Alves Cruz, sede do grupo, que oferece oficinas de percussão na quadra da escola a mais de 5 anos.

Feita-OF2-Bloco-04

Foi muito legal termos a oportunidade de cada pessoa ter um computador, e esse será um espaço muito produtivo. Foi “fértil” a conversa sobre as ‘redes sociais virtuais”, como o orkut, o ning, os publicadores que tem perfis como o Flickr, o YouTube. O grupo já utiliza algumas dessas ferramentas, e pensa como elas podem dialogar com sua página no maracatu.org.br.

Bem vindos todos !!!!

Feita-OF2-Bloco-05

Descendo a Serra – 1ª Oficina com o Quiloa, de Santos

Fizemos no começo de outubro a primeira oficina do projeto fora do município de São Paulo.Descemos a serra, e encontramos o pessoal do Quiloa nas Oficinas Pagu, na Cadeia Velha (ao lado da rodoviária de Santos).

Feita-OF1-Quiloa-01

Neste espaço cultural o Grupo Quiloa desenvolve duas atividades, semanais. Todas as 2ªs eles oferecem a oficina de Percussão do Maracatu de Baque Virado, para iniciantes.

E todas as 3ªs acontece o Ciclo de Estudos/Debates, menos prático, onde eles aprendem, estudam e trocam informações sobre a história das Nações, e de vários aspectos que estão ligados à cultura do Maracatu-Nação.

Foi em uma das 3ªs  do Ciclo de Debates que fizemos a 1ª Oficina do projeto com o Quiloa. Em encontros anteriores do Ciclo de Debates eles acessaram o maracatu.org.br e já tinham várias observações, idéias e opiniões sobre os desafios e questões desaiadoras que surgem quando trabalhamos para construir um “portal sobre maracatu de baque virado”.

Aguardamos anciosamente pela próxima oficina, e as contribuições do pessoal do Quiloa !

Até a próxima !

Feita-OF1-Quiloa-02

Começando com a Cia. Caracaxá

Agora já começamos as oficinas com os 5 primeiros grupos do Maracatu.org.br !

Foi muito bacana o primeiro encontro, houve bastante conversa, tiração de dúvidas e estamos harmonizando nossas idéias. O grupo se organizou, escolheu seu domínio, e está também caminhando para a construção do seu saite…

Pessoal ouvindo o Márcio, na 1ª Oficina com a Cia. Caracaxá

Pessoal ouvindo o Márcio, na 1ª Oficina com a Cia. Caracaxá

O próximo encontro será Domingo, dia 25 de outubro, para botarmos a mão na massa !

mechida-quadro-caracas-1

2ª Oficina com o Grupo Ilê Aláfia

Olá Navegantes !

Vamos aqui tocando o trabalho, que está árduo, porém prazerorso…

Estivémos denovo lá na sede do Ilê Aláfia, perto do metrô Jabaquara, e o trabalho avançou. As oficinas têm demorado mais do que imaginamos, e as pessoas têm gostado muito da “Oficina de Cultura Digital”. A cada palavra/tag que clicamos e conversamos são muitas as dúvidas tiradas e acreditamos que temo conseguido aproximar as pessoas distantes dos termos que envolvem o “digital”, mostrando que quem manda um e-mail tem capacidade para fazer muitas outras coisas via internet, inclusive postar num saite do seu grupo de maracatu.

montagem com fotos da 2ª Oficina lá no Telecentro da ACM Casa Leide, sede do Ilé !

montagem com fotos da 2ª Oficina lá no Telecentro da ACM Casa Leide, sede do Ilé !

O pessoal vem acompanhando, e o próximo passo é estruturar de fato a página do ilealafia.maracatu.org.br.

Em breve mais novidades das oficinas !

Inté…